O conteúdo desta página requer uma nova versão do Adobe Flash Player.

Pegue o Adobe Flash player

 Translate / Traduzir

 

Seja bem-vindo ao site do Professor Márcio Faria Correa. Aqui você terá acesso à artigos sobre vários assuntos relacionados a preparação de atletas de futebol.

III Congresso Internacional de Futebol – Brasil – 2014

 

Sucesso total de publico e repleto de personalidades do futebol. Foi dessa forma que aconteceu nos dias 3 , 4 e 5 de Setembro, um dos maiores eventos mundiais na área do futebol. No local foram discutidos muitos temas relevantes e indispensáveis para quem esta iniciando uma carreira ou procura atualização. Fisiologia, Preparação, Genética,  Periodização, Gestão no futebol, Marketing, Calendário, Psicologia, Futebol feminino, Direto desportivo. Além disso o Congresso foi palco de varias inovações tecnológicas apresentadas por alguns palestrantes e em exposição na feira do evento.

O Congresso foi mais uma iniciativa do INEES – Instituto Nacional do Esporte e Educação

Paulo Marcelo Manoel Marcio

Paulo Autuori – Marcelo Luchesi – Manoel Santos – Marcio Faria Correa

IMG_8102

Prof. Marcio Faria Correa – Palestra: A complexidade do Treinamento no Futebol

PATROCINIOS E APOIOS


Atlético Paranaense anuncia coordenador científico

cap treino 01

Ele tem experiências em clubes como Cerro Porteño, Al Ittifaq, Grêmio e Internacional e será responsável pela área de preparação e reabilitação física dos jogadores

O Atlético-PR anunciou Márcio Corrêa como o novo coordenador científico do clube. O profissional, que tem 44 anos e 22 de experiência na área, será responsável pelo planejamento para as áreas de preparação desportiva e reabilitação física dos jogadores. Márcio, que conta, no currículo, com trabalhos em clubes como Cerro Porteño, Belenenses (Portugal) Grêmio e Internacional, quer usar toda essa experiência para fortalecer o Rubro-Negro em todos os aspectos – táticos, técnicos, psicológicos e sociais.
– Em minha passagem de seis temporadas fora do Brasil, acompanhei diversas tendências na area da preparação de atletas. Identifiquei os pontos positivos de cada cultura e pretendo agregar muitas ideias ao processo de construção conceitual e metodológico que a instituição tem estabelecido. A preparação desportiva significa a junção de todos os aspectos que levam ao rendimento. Existem questões físicas, táticas, técnicas, volitivas, psicológicas e sociais e isso quando bem trabalhado, pode fazer muita diferença em campo. Buscaremos uma visão global do atleta e, além disso, uma integração ampla com todas os setores que envolvem o desempenho Atlético – afirmou em entrevista ao site oficial do clube.
O trabalho de Márcio Corrêa não ficará restrito ao grupo principal. Abrangerá desde a categoria sub-15. O objetivo dele é unificar todos os departamentos, para que tanto os jovens quanto os profissionais tenham sempre o melhor da estrutura do clube.
Além de Cerro Porteño, Grêmio e Internacional, Márcio Faria Corrêa também tem no curriculum clubes como Criciúma, Náutico, Juventude, Belenenses-POR, Santa Cruz, América MG, Al Ittifaq (Arábia Saudita), Al Riyadh (Arábia Saudita) e Al Shabab (Arábia Saudita).

Fonte : http://globoesporte.globo.com/futebol/times/atletico-pr/noticia/2014/06/atletico-pr-anuncia-marcio-correa-como-novo-coordenador-cientifico.html


Marcio Correa se despede do Criciúma Esporte Clube

Então preparador físico do time profissional, coordenador desportivo anuncia desligamento para nova missão na carreira, mas não revela qual seu destino

globo.com – Por João Lucas CardosoCriciúma, SC
Marcio Treino 2014 CT

Márcio Corrêa deixa o clube para se dedicar a projetos pessoais

O último remanescente da comissão técnica que conseguiu a permanência do Criciúma na primeira divisão do ano passado está de partida. Márcio Corrêa anunciou na tarde desta segunda-feira que não continua mais a trabalhar no Heriberto Hülse. Ele pretende se dedicar a outros projetos e não disse qual será seu destino.

Para ler a noticia completa acesse o link abaixo:
http://globoesporte.globo.com/futebol/times/criciuma/noticia/2014/05/marcio-correa-da-adeus-ao-criciuma-para-tocar-projetos-pessoais.html


Novo projeto efetivado pelo Criciúma tem no comando Marcio Correa

Mudança na comissão técnica propicia que Márcio Corrêa tenha mais tempo para o cargo de coordenador desportivo.

Globo Esporte - Por João Lucas Cardoso – Criciúma, SC – 

No entanto, o homem que respondia diretamente pela função de preparador físico na equipe profissional segue no clube. Márcio Corrêa, que já vinha exercendo os dois cargos simultaneamente, a partir de agora, terá mais tempo para desempenhar a função de coordenador desportivo, de acordo com o diretor de futebol Cláudio Gomes. O projeto, implantado a partir deste ano, tem como premissa alinhar os aspectos metodológicos e pedagógicos que permeiam a preparação das categorias de base e da equipe profissional.

criciuma 06

No primeiro treinamento da equipe desde a chegada de Lopes, o aquecimento, por exemplo, que ate então era conduzido por Corrêa, ficou a cargo de outro profissional. Marcio contribuiu para o acesso do Tigre à primeira divisão, em 2012, e para a permanência na Série A do Campeonato Brasileiro, no ano seguinte, como essa nova distribuição passa a ter mais tempo para comandar a coordenação desportiva, que inclui todos os aspectos relacionados captação, formação, controle e desempenho das categorias.

- O Márcio Corrêa é nosso coordenador desportivo e agora, mais do que nunca, vamos colocar em prática o que tínhamos em mente, a integração entre base e profissional. Isso é um alinhamento da preparação. Neste ponto o professor Márcio Corrêa tem uma importância muito grande e nos emprestará toda a sua experiência. Categorias de Base e profissional caminharão alinhadas sob o comando do professor.– justificou o diretor de futebol Cláudio Gomes. A Função, até então inexistente na estrutura do futebol do Criciúma, foi criada a partir desta temporada. Além de ter o contrato renovado com o Tigre, Marcio Correa, recebeu a incumbência de comandar o projeto.


Globo Esporte

09-12-2013 : Por: João Lucas Cardoso

‘Bruxo’ Márcio Corrêa extrai a força do Criciúma para fugir do rebaixamento

O chamamento de “bruxo” por colegas de trabalho não é por acaso, ainda que ele passe longe da alquimia. Márcio Corrêa é homem da ciência, e do esporte. Porém tem sob a manga a mágica para fazer o Criciúma arrancar para a permanência na primeira divisão do Campeonato Brasileiro. Com o preparador físico, o time correu até se garantir na elite nacional. O gaúcho de Porto Alegre ajudou a espantar o ‘monstro’ chamado rebaixamento e soube extrair o que cada atleta poderia ofertar de melhor. Fez da cabeça caldeirão e do conhecimento ingredientes para a poção que o Tigre precisava quando o objetivo era a manutenção na primeira divisão . Para ler o conteúdo original da matéria

Acesse o Link Original e leia a entrevista completa:  http://globoesporte.globo.com/futebol/times/criciuma/noticia/2013/12/bruxo-marcio-correa-extrai-forca-do-criciuma-para-fugir-do-rebaixamento.html

 

Marcio Criciuma Serie A

É serie A outra vez, vamos lá !


Preparador além do físico, Márcio Corrêa persegue limite do Criciúma

Entrevistão: Profissional tenta fazer que o rendimento do Tigre aumente e equipe saia da zona de rebaixamento não só com a força muscular

Globo Esporte Por João Lucas Cardoso Criciúma, SC 

Ele persegue o mesmo caminho do estímulo que faz pernas correrem e pés dispararem a bola. Para o preparador físico Márcio Corrêa, a força do Criciúma na luta contra o rebaixamento não está apenas em músculos e vísceras. A vitória começa na cabeça. O fortalecimento vem depois do diálogo. O gaúcho de Porto Alegre não se junta ao técnico Argel Fucks apenas pelo sotaque e pelo Tigre. A dupla faz das palavras o estímulo para pernas e pés tricolores persigam a manutenção na primeira divisão do Campeonato Brasileiro.

Marcio Joao Vitor e Everton

- Procuro trabalhar a cabeça para que as respostas nos jogos e treinos sejam outras. Sendo positivas, com mais motivação, os ganhos psicológicos são maiores. É isso que a gente emprega hoje no Criciúma – justifica.

O conceito que emprega é simples diante do que encontrou. Márcio Corrêa desembarcou no Heriberto Hülse há menos de um mês, credenciado pelo trabalho no acesso do clube à primeira divisão, no ano passado. Com Argel, a missão é preservar o que conquistou com Paulo Comelli, a vaga na considerada elite do futebol nacional. No entanto, encarar a parada numa reta final de campeonato exige outras demandas. Fisicamente, os atletas já se apresentaram. Corrêa tenta o algo mais, seja com atividades físicas, ou tom de voz ameno ou o ‘tranco’ quando preciso.

O preparador de atletas, como demonstra preferir, não apenas falou ao GLOBOESPORTE.COM sobre o trabalho em menos de um mês no Criciúma. Márcio Corrêa lembrou também da passagem anterior pelo clube, principalmente o trabalho feito com o atacante Zé Carlos para que fosse o vice-artilheiro do Brasil em 2012.

O Criciúma parece correr um pouco mais e chegar ao final dos jogos mais inteiro. Por quê?
– Acho que a mudança de ambiente, de diálogo, de discurso com os jogadores que o Argel trouxe é um dos principais fatores, somado também ao que eu faço, com mudança de conceitos e controle de trabalho. As atividades hoje são controladas. Em um campeonato com jogos quartas e domingos e em sua reta final não se pode aumentar a carga de trabalho. Hoje temos que manipular a carga, tanto psicológica, por meio do diálogo, como também fisiológica. O jogador entende que tem que responder no seu limite e pelo tempo que puder, porque temos jogadores no banco que também podem dar uma resposta positiva. Além disso, hoje os atletas se sentem motivados a responder, sendo entre os 11 que entram ou não. Eles sabem que não existe titularidade, joga quem está melhor. É um consenso do grupo e comissão técnica, independente da idade, da experiência, do currículo. Não existe carteiraço. Joga quem estiver melhor, o que mais treinou e melhor desempenhou nas partidas anteriores.

Então trata-se de um trabalho mais voltado para o aspecto psicológico do que físico.
– Todo o ganho que se tem está relacionado ao psicológico, mesmo o fisiológico. Posso aplicar uma carga de treinamento num atleta e ele cumprir, como posso aplicar a mesma carga e, se ele tiver o entendimento e sabe o motivo de cumprir aquela etapa, a resposta é outra. Isso é claro e há muito tempo. Procuro, sim, trabalhar a cabeça para que as respostas nos jogos e treinos sejam outras. Sendo positivas, com mais motivação, os ganhos psicológicos são maiores. É isso que a gente emprega hoje no Criciúma.

Foi detectado algum problema em relação ao trabalho feito antes da sua chegada?
– Por ética, prefiro não falar. Mas tenho como base os dados deixados. A partir da análise que faço, procurei equalizar um pouco diferente o que vinha sendo feito, da forma que faço e acredito que seja mais adequada. Dentro disso começamos a colher algumas respostas positivas. As lesões podem não ser culpa de um trabalho malfeito, mas de jogadores que estavam há muito tempo parado e uma infinidade de outros motivos. Estou muito feliz com o meu trabalho sendo visto. Os jogadores estão chegando intactos e bem durante toda a partida, mantendo uma intensidade boa de competitividade.

Parece que o que seu trabalho não se limita a parte física. É isso mesmo?
– A preparação física mudou. Acho até que o nome também deveria mudar.  Nós não preparamos mais fisicamente o atleta apenas, mas o atleta num contexto geral. Uma das mudanças que devem ser levadas em consideração é o controle das cargas de treinamento, ele deve entender qual o volume de aplicação de carga do treinador, qual o volume suporta no momento e qual volume ser aplicado e aplicável para aquele momento. O preparador físico passou a ser um controlador. Ele precisa manipular as cargas e minimizar lesões para disponibilizar ao treinador o maior número de jogadores, para que possa fazer escolha detalhada dos que pretende utilizar. O controle feito não se limita ao meu trabalho, mas o volume de trabalho com o treinador também. Quando Argel diz que vai fazer determinada atividade, nós da preparação física sabemos o tempo que cada atleta pode participar.

Você trabalhou em clubes da Arábia Saudita, Paraguai e Portugal. Teve estágios em outros time da Europa também. Estas experiências devem ter sido enriquecedoras.
– Tive alguns momentos marcantes e determinantes. O primeiro deles foi a saída do Brasil, quando pude conhecer escolas diferentes das nossas, aprender outro idioma, conviver com treinadores de outras nacionalidades, experientes e competir internacionalmente fora do país em que residia. Foram seis anos de uma mudança total e radical. Foram quatro anos na Arábia Saudita disputando a Liga dos Campeões Asiática, tive a Libertadores pelo Cerro Porteño (2007) e o um Campeonato Português que me valeu pela relação que tinha com as pessoas de clubes de ponta do país, como Benfica, Porto e Sporting, estando num clube intermediário, que era o Belenenses (2008), bem quisto pelos portugueses.

Você considera que o trabalho realizado como preparador físico do Grêmio em 2003, em que o clube escapou do rebaixamento nas rodadas finais do Brasileirão, e do Criciúma no ano passado, na campanha do acesso, foram seus pontos altos da carreira no país?
– Tecnicamente, falando de desafios, foram os maiores, sim. No Grêmio, em 2003, com a comissão técnica e jogadores, teve um fator determinante para que o clube se mantivesse na primeira divisão naquele ano. Na época tínhamos oito ou nove partidas em que tínhamos que vencer sete e empatar uma, algo parecido. Era um time craques, como Caio, Christian, Danrlei, jogadores com passagens internacionais e na seleção, e que não vinham rendendo. Com a nossa chegada houve uma mudança de postura, no diálogo, os jogadores compraram uma ideia e conseguimos alcançar o objetivo. Foi um passo importante como o com o Criciúma no ano passado. Nós encontramos um time ganhando cara, em que jogadores chegavam para ser incorporados. Havia o Zé Carlos (atacante) readquirindo a condição física, ele já estava no clube. Ele viveu sua melhor fase na carreira naquele ano, se tornou artilheiro da competição e unanimidade da Série B. Resgatamos um atleta que nos ajudou muito. Foi um marco na minha carreira por ter revigorado uma estrutura e a subida para a primeira divisão, onde hoje o Criciúma colhe alguns bons frutos. Espero que neste retorno possamos conseguir a manutenção e os frutos sigam sendo colhidos. A estrutura que tem, a cidade e a torcida que apoia merecem o time na primeira divisão. Hoje Criciúma respira futebol, vários setores da economia vivem e lucram com o futebol. A primeira divisão trouxe um potencial financeiro melhorado para a cidade.

Já que você tocou no assunto, o Zé Carlos te deu muito trabalho?
– Mais do que físico, prefiro falar sobre o psicológico do Zé Carlos. É um atleta em que o diálogo imperava, principalmente no trabalho físico. Ele era diferente, precisava que as pessoas levassem ao entendimento dele os motivos da atividade, criassem uma mobilização à parte para que rendesse. Comigo sempre foi fácil de lidar, nunca houve problema. Dentro desta etapa juntos, ele rompeu alguns desafios que tinha com ele mesmo. O primeiro deles foi perder 10kg em menos de um mês. Isso não é para qualquer um, apenas para quem é determinado, como ele foi. Com isso começou a resgatar o futebol que tinha e deu resultado. Tanto que foi negociado r está no exterior, com um salário que deve ser 10 vezes superior do que recebia. No final de carreira está conquistando sua independência financeira graças ao esforço dele e da comissão técnica que interagia daquela forma com ele, que se sentisse bem em campo. Cada atleta tem que ser tratado de forma específica, porque ninguém é igual. Procuramos entender quais são as necessidades do atleta, se é fisiológica, psicológica, comportamental. A gente procura, dentro do limite de conhecimento, agir de forma positiva para que a resposta venha. Esta resposta significa gols, bons jogos e, sobretudo, vitórias.


 Em noite inspirada o América venceu o Sport Recife por  5 gols a Zero.

30/07/2013

Foi um jogo que satisfez o desejo de todos os torcedores do América MG, mas principalmente os que compareceram ao estádio Independência e puderem apreciar de perto a equipe do América Mineiro atropelando o adversário durante os noventa minutos.  

“ – Corremos bem e  praticamente com a mesma intensidade durante todo jogo, esse fator aliado à postura tática que conseguimos manter nos deu a felicidade de uma grande vitória. afirma o preparador físico Marcio F. Correa”.

america 03


O América Mineiro na busca pelo G4.

Foram quatro vitórias consecutivas e as duas ultimas com viradas fora de casa e gols marcados depois dos quarenta minutos do segundo tempo. Mesmo com o desempenho favorável nesse inicio de campeonato o grupo aproveita o intervalo da COPA das Confederações para buscar melhorias nos aspectos fisiológicos e táticos. ” – O nosso trabalho segue uma sequencia lógica,  por isso temos um baixíssimo índice de lesões e um desempenho satisfatório no que diz respeito a parte fisiológica desde os primeiros jogos.  Taticamente é diferente, pois o grupo ainda requer um pouco mais de reconhecimento entre os próprios atletas. Daqui um pouco quando o conjunto ficar perfeito teremos respostas ainda melhores. ” conclui o preparador Marcio F. Correa.

america 04

   Data: 27/05/2013


Marcio Faria Correa: vice campeão brasileiro 2012

A disputa da série B do campeonato brasileiro de 2012 demonstrou um equilíbrio muito grande entre a maioria dos adversários. A pontuação dos quatro classificados para o acesso foi a mais alta de todas as edições da competição.

” - Mesmo com um investimento menor do que os outros clubes que estavam perto ou dentro do grupo de acesso nós conseguimos permanecer liderando por quase toda a competição e em nenhum momento saímos do G4. Na minha opinião o trabalho executado no dia a dia com os atletas foi o diferencial para essa conquista. Classifico isso como um grande feito para a nossa história enquanto profissionais do futebol e para o Criciúma E .C. já estava há 8 anos sem dar um passo a frente. declara o preparador físico Marcio Faria Correa.


 

FOOTECON 2012  Copacabana Palace – Rio de Janeiro 

 


Marcio Correa, Fala sobre a Preparação dos Atletas do Criciúma Esporte Clube

Profissional fala sobre o projeto “Índice Zero” e a coordenação do II Congresso Internacional de Futebol    

universidade do futebol

Entrevista por Bruno Camarão : 20/07/2012

Relatórios diários, metas de desempenho individual e coletivo, treinamento direcionado à prevenção de lesões e uma equipe interdisciplinar: essas são algumas das minúcias que estão sob controle do preparador físico Márcio Corrêa.

“Quando tratam a função que exerço simplesmente de preparação física, sinto que falta algo para complementar. Lógico não digo que esteja errada a terminologia, mas é bastante reducionista: prefiro pensar que preparador físico é somente ‘fachada’, pois desde que comecei a carreira de comando no meio futebolístico, e lá se vão 20 anos, acreditei que a função pudesse ser sempre maior que o treinar as capacidades motoras”, avalia.

Márcio tem o entendimento de que o desempenho de um futebolista não deve, de forma alguma, ser avaliado meramente em como se situa a forma física. O processo desportivo, como um todo, é o que importa.

“Essa forma desportiva significa estar apto e em equilíbrio para competir sob todos os aspectos que compõem a preparação durante um período de tempo, sejam eles físicos, técnicos, motores, táticos, psicológicos, volitivos, nutricionais, sociais, etc”, acrescenta Márcio, que hoje está à frente do departamento de futebol profissional do Criciúma, um dos ponteiros da Série B do Campeonato Brasileiro.

O experiente “treinador” – como ele autenticamente se vê situado na comissão técnica – costuma dizer que o trabalho dele é qualificar os jogadores amplamente, a partir de uma interação em todos os pontos, com todos os outros membros do grupo de trabalho. No time do interior de Santa Catarina, uma das conquistas mais relevantes comemoradas é o que Márcio chama de “Índice Zero”, um limiar relacionado ao número de lesões musculares que o elenco atual apresenta.

“Em parte, isso está relacionado com a metodologia e o controle de trabalho que empregamos dentro do departamento. Graças ao apoio da diretoria que está entendendo todos os nossos passos com o projeto de excelência que temos para os jogadores, estamos tendo a chance de montar uma estrutura muito interessante”, explica.

Nesta entrevista à Universidade do Futebol, o experiente profissional, que já passou por diversas culturas futebolísticas, em países como Arábia Saudita, Paraguai, Portugal, Grécia, Inglaterra e Itália, fala mais detalhadamente sobre o atual projeto no clube catarinense.

Além disso, explica as razões pelas quais só em 2012 conseguiu coordenar a segunda edição do Congresso Internacional de Futebol, um dos eventos mais importantes da região Sul do país e qual é a importância do mesmo para o desenvolvimento e qualificação dos profissionais desta modalidade.

Para ler a matéria completa acesse o link abaixo:

http://universidadedofutebol.com.br/Entrevista/10843/MARCIO-CORREA-PREPARADOR-FISICO-DA-EQUIPE-PRINCIPAL-DO-CRICIUMA

   


Novidade.

As fotos do II Congresso Internacional de Futebol & Fórum de Medicina do Futebol acabaram de ser postadas. Visite o Item fotos e reveja todo o acontecimento.

 


Aconteceu o que esperávamos: Sucesso Total de Público !

IIº Congresso Internacional de Futebol & Iº Fórum de Medicina do Futebol

21 e 22 de Setembro de 2012

www.congressoif.com.br

Palestrantes que estiveram conosco : 

Rene Simões – Rodrigo Caetano – Marcio Faria Corrêa – Antonio Carlos Gomes  José Carlos Barbero Àlvarez – Altamiro Bottino – Vinicius Eutrópio – Juliane Fechio – Felipe Ximenes – Rogério Maia – Fabricio Duarte – Orlando Laitano – Elio Carravetta – Fábio Krebs – Marcio Tannure – Newton Drummond – Katiuce Borges – Thiago Correa Duarte – Rogério Braun – Daniel Cravo de Souza – Cesar Abs de Agosto – Fernando Lima –  Gustavo Koch Pinheiro – André Guerreiro – Túlio Menezes – Michael Simoni – Próspero Paoli – Serafim Borges – Luiz Roberto Marczyk


 

Preparação que faz a diferença

Link original :  http://www.jmnet.com.br/impresso/e/305/2012-08-27 e Clique em JM ESPORTES – Pagina 4


 

 

 

 


Reconhecimento Profissional

 

2007: Troféu Movimento: Associação dos Profissionais de Educação Física

2004: Destaque na Preparação Física: Federação Gaúcha de Futebol

Ao longo de sua carreira, o Prof. Márcio Faria Corrêa tem se destacado por sua  atuação profissional. O reconhecimento a esse trabalho vem não só através dos comentários positivos da imprensa especializada e dos depoimentos dos próprios atletas que com ele trabalharam, mas também sob a forma de vários prêmios a ele atribuídos. Saiba mais…



Márcio Corrêa fala sobre sua chegada ao Criciúma Esporte Clube

 

 Há pouco mais de quinze dias no Estádio Heriberto Hülse, o preparador físico Márcio Corrêa diz que o tempo para trabalhar está de bom tamanho. “É claro que quanto mais tempo melhor, porém estes dias que tenho para trabalhar está de bom tamanho. Procurei adequar a preparação ao tempo disponível”, revela.
De acordo com Corrêa, os atletas recém-contratados estarão em boas condições para a estreia da equipe na Série B. “O Criciúma optou em sua maioria por atletas que estavam atuando em seus clubes, o que facilita o nosso trabalho. Mesmo que o atleta esteja apto ele precisa se adaptar ao novo sistema de trabalho da preparação física,  técnica e tática e o desgaste acaba sendo maior.  Avaliando os índices de cada atletas creio que apresentaremos um bom desempenho a partir do terceiro jogo. Não deixaremos a desejar no início,  mas após o terceiro jogo irá melhorar ainda mais”, avalia o preparador físico.

O auxilio de equipamentos que o clube está disponibilizando ao nosso trabalho, como os isocinéticos, analisador bioquímico, e outros na área de fisiologia estão sempre nos ajudando a minimizar falhas na preparação dos atletas. “Anteriormente para analisar o desempenho, em boa parte das atividades usávamos o bom senso, um pouco de experiência e poucos dados reais de controle, mas de algum tempo para cá, alguns clubes estão valorizando mais os aspectos científicos e isso vem auxiliando muito o desempenho dos desportistas”, analisa.

Corrêa ainda falou sobre o o meia Giovanni Augusto, que está retornando ao grupo após se recuperar de lesão. “O Giovanni vem apresentando um rendimento bastante interessante, uma determinação muito grande, ele é um jogador que tem uma grande capacidade”, disse o profissional.

 


 

Notícias

O professor Marcio F. Correa participou como palestrante no 4º Congresso Brasileiro de Ciências no Futebol. Evento sobre ciência e futebol buscou apontar os caminhos a seguir para o desenvolvimento e a qualificação na modalidade.

Leia abaixo a noticia publicada pelo site: Futebol Interior.

Destaque entre os palestrantes foi o preparador físico Marcio F. Correa

SP – 2011 No último final de semana aconteceu em São Paulo o 4º Congresso Brasileiro de Ciências no Futebol. O evento realizado Centro de exposições do Parque Ibirapuera contou com uma área total de 10.000 m² destinados ao futebol e a uma mega feira de esportes e lazer. Os cinco auditórios, com capacidade para 250 pessoas cada, receberam cursos e palestras de nomes conhecidos do futebol, como Marco Aurélio Cunha, ex-diretor executivo do São Paulo, e o técnico Vagner Mancini e o preparador físico Marcio F. Correa.

 


1° Simpósio Avançado de Traumatologia e Reabilitação no Esporte


Pelotas dias 29 e 30 de outubro de 2010
Sucesso total para o evento que reuniu mais de 400 profissionais da área de traumatologia e desporto. O simpósio contou  com uma lista de personalidades conhecidas: Américo Faria, diretor de seleções da CBF,  Joaquim Grava, médico do Corinthians, José Luiz Runco, médico da Seleção Brasileira de Futebol, Márcio Faria Correa, Preparador Físico, Osmar de Oliveira, médico e Jornalista, Rogério Teixeira, Presidente do Comitê Brasileiro de Traumatologia do Esporte, entre outros nomes de peso.
Pelotas – RS
Para maiores informações, visite o website do evento: http://www.sbotrs.com.br/simposio/programacao.html


Depoimentos

Gostaria de dizer que posso dividir a minha visão como profissional da preparação fisica em duas partes bem distintas: Antes e depois de ter trabalhado com o prof. Marcio Correa, devido ao grande aprendizado que tive atuando ao seu lado. Tivemos a oportunidade de trabalhar juntos no Grêmio FBPA e desde então passei a admirar sua capacidade profissional. Sempre atualizado e profundo conhecedor dos conteúdos do treinamento desportivo sabendo aplicá-los sempre com a fundamentação adequada.
Parabéns pelo novo site Marcio e Sucesso sempre.
Vinicius Munhoz : Preparador Físico da Seleção Brasileira de Futebol Feminino Sub 20

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player